05/11/2010

ÁGUA



O Passado mais remoto
Que a minha memória alcança
Surge impróprio
Invasivo
Como uma idéia que se lança.

Uma imagem um sabor
Um aroma uma lembrança
Uma porta pra outro tempo
Abre-se espontaneamente
E eu volto a ser criança.

Um sonho
Águas passadas
Uma gota que rolou
Neste meu rio de histórias
Quero esquecer
Já são horas
Urge uma boa mudança

Mas as pequenas marcas
Ficam em mim registradas
Deixadas no leito do rio
Bem como as pedras roladas

Quem sou eu afinal
O rio que passa ligeiro
E forte traça seu rumo
Ou as pedras que embaixo dele
Revelam suas formas boleadas
E isto não se pode negar:
Harmônicas mas...
Talhadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário