12/07/2010

O Teatro


Desenho feito com pena de bambu, extrato de nogueira sobre papel artesanal. Nos objetos de tempos remotos procuro a mim mesma... No teatro me encontro.
Não suportando definições fechadas, prefiro me manter indefinida. Mudanças capitais de tempos em tempos, para não assentar poeira. Quero sempre me manter como as sombras fugidias, o cheiro da chuva, os sons efêmeros das risadas, as lendas contadas em rodas de fogueira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário